/// Experiências

Intercâmbio – Uma grande experiência

Verônica Brandão
Escrito por... Verônica Brandão
Quem já fez intercâmbio vai entender bem o que eu trouxe neste post de hoje. Quem ainda não fez, a minha dica é: se você ainda tem essa oportunidade, não deixe-a passar! Faça!

Para quem não sabe muito da minha história ainda, eu vou tentar explicar brevemente. Desde sempre, desde que me entendo por gente, curiosa como sou, me recordo de querer conhecer outros países. Queria ter a oportunidade de ver através dos meu olhos, como eram aqueles lugares que eu via apenas em fotos e em livros de história.

Quando passei no vestibular, passei em algumas universidades e segundo minha mãe, eu já procurava uma que oferecia programas de intercâmbio. E foi assim onde tudo começou. Quando eu cumpri um percentual mínimo (20%) de disciplinas cursadas, comecei a procurar os programas de intercâmbio disponíveis, que na época, nem eram muito concorridos.

Minha primeira opção seria a França e eu buscava um programa com um ano de duração. No entanto, como eu ainda não tinha feito o curso de francês, eu teria que esperar até o ano seguinte. Foi quando um amigo muito querido falou: “Vê, tem vários programas pra Portugal! Eu estou tentando ir pra lá! Tenta também! Assim a gente pode ir junto!”. Eu não tinha nada a perder, além do mais, se não desse certo, eu já saberia quais eram os pré-requisitos cobrados no edital e o funcionamento da seleção dos candidatos. Assim eu estaria mais preparada para o próximo edital.

Foi então, que o prazo apertado para a entrega dos documentos havia sido prorrogada e eu tive a certeza de que aquela vaga seria pra mim! Dito e feito! No semestre seguinte eu estaria voando pela primeira vez e já começando com um voo internacional. E eu não fazia ideia do quanto aquilo iria mudar minha vida.

Bragança - Portugal

Bragança – Portugal

A questão é que 6 meses depois de ter voltado de Portugal, descobri um novo Programa: o Ciências sem Fronteiras. Este ainda era um programa bebê, estava em seu segundo edital, com vagas disponíveis para diversos países e de cara eu pensei comigo: vou tentar! Afinal, nem todo mundo tem coragem de ir pra um lugar que fala alemão, sem saber falar alemão! E assim, comecei meus estudos da língua, corri atrás do tempo perdido e um ano depois de ter voltado de Portugal eu estaria indo para a Alemanha! Surpreendente!

Nosso primeiro passeio em Bochum - Alemanha

Nosso primeiro passeio em Bochum – Alemanha

Então foi assim que eu fiquei dois anos morando fora do Brasil, estudando muito e viajando também. Pois viajar, faz parte de se instruir, de ver que seu mundinho e seus problemas são pequenos demais. Viajar fez e faz parte da minha evolução moral, minha evolução como ser humano e consequentemente como profissional.

Hamburg

Hamburg – Alemanha

E no meio de tudo isso você conhece gente! Muuuita gente! E Quanta gente!! Gente de todo tipo, costume, cheiro, cor, cultura e valor. No meu primeiro intercâmbio, fui com algumas pessoas que eu já havia conhecido. Elas eram da minha universidade e iriam para a mesma cidade que eu. Sendo assim, nos encontramos antes, para nos conhecer um pouco e para trocarmos experiências sobre toda a documentação que tínhamos que arranjar. No segundo intercâmbio eu fui sem sem nunca ter visto o rosto daquelas pessoas ao vivo, mas no final do ano, nos sentiríamos irmãos.

Call me maybe!

Call me maybe! – mais que amigos

Quando você se vê fora de seu país, sem conhecer ninguém, sem saber falar bem a língua, sem entender direito a cultura, longe da família e dos amigos, de alguma forma você se transforma. Todas suas emoções ficam mais evidentes, tudo toma uma proporção maior.

Carnaval de Köln

Carnaval de Köln – Alemanha

Você fica mais receptivo, mais tolerante e se apega mais às pessoas. É o natal, ano novo, aniversário e todas outras datas comemorativas que você passa ao lado daqueles novos amigos. A dúvida, a saudade de casa, da comida “de verdade”, aquela tristezinha que bate, são com essas pessoas que você vai dividir, é uma nova família que você pode contar. É quando o dinheiro acaba, quando você quer um companheiro pro estudo, pro almoço ou pra viagem, são essas pessoas que você vai ter. São elas que você vai ver todo dia, vai sair toda noite, vai rir e chorar. E de repente um ano se passa e você tem que voltar pra casa e aquelas pessoas que viveram tão intensamente com você, também se vão.

Meu aniversário em Bochum - Alemanha

Meu aniversário em Bochum – Alemanha

Mas o Brasil é tão grande!!! Tão grande!!! Que de repente temos um problema. Mas um problema que de certa forma eu gosto. Hoje, tenho os melhores amigos em muitos cantos de todo Brasil, outros ainda mais longe… Se eu não tivesse todas essas pessoas maravilhosas em minha vida, eu não teria esse problema. Então ele é sempre bem vindo!

Julia - minha alemãzinha favorita!

Julia – minha alemãzinha favorita!

É muito bom, saber que mesmo longe, a gente continua crescendo, evoluindo e compartilhando experiências. Que mesmo longe, posso dividir com eles cada angústia e cada vitória. E que assim eu tenho que procurar os melhores preços de passagens Brasil afora para poder dar aquele abraço apertado e dizer: “ Que bom rever você, amigo querido!”.

Que bom rever você!

Que bom rever você, amigo querido!

Por isso eu reforço: Faça intercâmbio! Você vai crescer e vai voltar cheio de amigos maravilhosos, que gostam de você pelo seu verdadeiro eu! Por tudo que passaram juntos! Não deixe de viver isso!

555979_510261619024827_2125766854_n

Para quem quiser saber mais sobre intercâmbio, pode deixar as dúvidas e sugestões nos comentários! Terei imenso prazer em respondê-las.

 

É a Fé - mas representa o carinho que eu tenho por cada um de vocês!

É a Fé – mas representa o carinho que eu tenho por cada um de vocês! Seus bolotas!

 E especialmente para eles: sinto falta de vocês! Obrigada por serem esses amigos tão amados e por fazerem parte da minha vida e me deixar até hoje, fazer parte da vida de vocês. É muito bom saber que estamos crescendo juntos e que podemos contar uns com os outros!! Vocês são especiais e valiosos!

Sobre o(a) autor(a)

Verônica Brandão

Verônica Brandão

Antes de tudo viajante do mundo, de livros e de histórias. Gosta do novo, do diferente e do que instiga a curiosidade. Aquariana, engenheira e aprendiz insaciável, quer trazer e registrar um pouquinho do gosto bom que é andar por aí.

1 Comentário

  • […] Esse foi o post final sobre nossa experiência em Dublin, na Irlanda. Já contamos bastante sobre como tudo começou (leia mais), a decisão, os primeiros seis meses morando fora (leia mais) e como é o dia a dia por aqui. A Vê também já contou (clique aqui) um pouco sobre as experiências dela fazendo intercâmbio.  […]

Deixe seu comentário

Translate »